Infinidade de informações geradas diariamente possibilita observações para compreender e até prever o comportamento do consumidor

28 de janeiro de 2021

É inegável que a tecnologia da informação e a geração de dados digitais fundamentam (e seguirão fundamentando) estratégias de negócios em diferentes setores da economia. Segundo compartilhado pelo World Economic Forum, até hoje o universo digital que frequentamos diariamente já gerou 44 zetabytes de dados. Em uma unidade de medida mais fácil de ser compreendida, isso representa 44 trilhões de gigabytes de dados. Atrelado a esse cenário, as disciplinas relacionadas à Ciência de Dados – que captura, armazena e processa essas informações com intuito de gerar valor ao negócio – ganham relevância inclusive no setor de Marketing Digital.

Isso porque não há como elaborar, tampouco manter, um plano coeso de Marketing Digital sem analisar e validar as informações geradas em cada campanha iniciada. Observar o andamento do projeto; utilizar essas observações para criar possibilidades e, assim, testar novas abordagens; capturar e avaliar os dados gerados após cada nova ação; e compartilhar esses resultados com o time para adaptação ou transformação total das campanhas é rotina.

Porém, a possibilidade de ter, em mãos, dados tão relevantes que podem ajudar a prever o comportamento do consumidor somente é válida quando há especialistas capazes de interpretar essas informações, dispondo-as dentro de uma estratégia macro. Com a equipe ideal e o acesso global a esses dados, é possível planejar mais rapidamente as campanhas alinhando-as periodicamente às necessidades corporativas de cada negócio; otimizar os recursos financeiros e os canais utilizados, buscando sempre o melhor retorno do investimento; e capturar dados em tempo real para avaliar o desempenho das campanhas, trabalhando para a melhor experiência integral do consumidor.

Dentro desse setor, são apontados quatro tipos de análises de dados capazes de contribuir estrategicamente com o Marketing Digital:

  1. Análise preditiva – Ao analisar os padrões que se repetem, ou seja, observar dados estatísticos e históricos dos negócios, é possível prever o comportamento futuro dos consumidores e do mercado.
  2. Análise prescritiva – Cada ação gera uma reação. Observar as consequências de cada campanha permite, ao time de marketing, ter mais fundamento para a tomada de decisões. É uma análise complexa e que somente pode ser bem realizada por especialistas que conhecem as ferramentas da ciência de dados e estão alinhados com o business plan das empresas.
  3. Análise descritiva – Avaliação em tempo real é o que baseia a análise descritiva, bastante útil quando há necessidade de respostas rápidas para liberação do consumidor para uma nova etapa do processo digital (como em compras on-line, por exemplo).
  4. Análise diagnóstica – Assim como um diagnóstico médico, busca responder às principais perguntas do time de marketing. É a análise diagnóstica que relata quem, quando, onde, como e por que e permite a compreensão de detalhes da campanha complementares às outras análises.

Focada em resultados e em desenvolvimento de negócios, a ciência de dados bem aplicada ao Marketing Digital traz impactos positivos capazes de revolucionar as estratégias corporativas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *